residências — colaborativas

Como continuidade do projeto de residências artísticas Seu Vicente para o ano de 2013, decidimos focar nas questões das residências—colaborativas, enquanto conceito a ser desenvolvido na prática. Entendemos residências—colaborativas, como um conjunto de ações em que todos os artistas residentes que passam pelo Seu Vicente tenham algum ponto em seus trabalhos em que se cruzem idéias, interesses, maneiras e modos de fazer com os que por aqui estejam. Nesse sentido, a tentativa é de estabelecer vínculos que de alguma maneira co-existam no espaço de criação de residência do Seu Vicente.

Os artistas, filósofos, jardineiros, investigadores, que venham compartilhar esse espaço de trabalho encontraram com pessoas que cruzam o Seu Vicente diariamente. Nós do coletivo qualquer, residentes permanentes da casa, faremos as honras e acolheremos os visitantes, estabelecendo nesse sentido o primeiro elo de conexão com a cidade de Lisboa.

Para esse ano, pensou-se em focar o projeto de residência—colaborativa com uma pesquisa específica do coletivo qualquer, que iniciou-se em princípios de 2012 como parte do Festival Pedras`12: Walking and Talking: práticas similares para lugares diferentes. O artista que venha estar nesse espaço de criação em residência, terá como background e como presença de criação essa investigação continuada entre corpo-palavra-rua. Para além do contato com  o coletivo qualquer, também outros contextos, artistas e pesquisadores tecerão essa vivência, tornando a experiência da residência um acontecimento em rede, em que o coletivo qualquer, artistas residentes e outras pessoas, entrecruzem  seus trabalhos, experiências e pontos de vista na criação em conjunto de espaços de compartilhamento.

Priorisamos propostas que entendam que não há um “uso” do espaço, mas sim um viver-habitar do lugar que tenha como foco outras possibilidades de estabelecimento de relação com as pessoas que por aqui vivam, a casa e o entorno da cidade de Lisboa. Um retorno a uma experiência conjunta em que por mais que hajam interesses específicos a serem desenvolvidos, não se estabeleça um fim a priori, mas deixe-se aberta a possibilidade do jogo, de uma volta a um tempo no tempo, uma brecha para a criação de novos espaços e perspectivas de trabalhar em colaboração, estarmos juntos.

“…a profanação desativa os dispositivos de poder e restitui ao uso comum os espaços que aquele tinha conquistado.” Giorgio Agamben, Elogio da Profanação.

Anúncios

Sobre seuvicenteresidencias

O coletivo qualquer é formado por Luciana Chieregati(BR) e Ibon Salvador(País Basco). Tem como foco de investigação a dança e como a prática e a teoria caminham na mesma direção, entendendo as diferenciações como possibilidades de novos entendimentos a partir da criação de redes e hibridações. Seu Vicente Residências Artísticas é sua casa, onde são os residentes permanentes e porteiros. Fazem parte da equipa do c-e-m(centro em movimento) que com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, tem como horizonte fazer desse espaço, um lugar de convivências, encontros e compartilhamento de idéias acerca da contemporaneidade, recebendo ali artistas, filósofos, jardineiros, empregados de mesa e quem tiver vontade de pensar relações e estares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s