programação maio

Mostra de Processo: “eu vírgula você e eu” com Túlio Rosa dia 24 de Maio às 21h na galeria Boavista

………………………………………………………………………………………………………………….

Seminário: UNIPOP,  “De que é nome o comunismo?”, dia 24 e  das 18:30 às 20:30, e dia 25 de Maio das 18:30 às 20:00 e das 21:30 às 23:00 com Bruno Peixe Dias e José Neves 

O comunismo, enquanto nome, ideia e projecto político, conhece, de há uns anos a esta parte, um novo fôlego, não só enquanto categoria teórica, nos trabalhos de filósofos como Alain Badiou, Michael Hardt e Antonio Negri, Slavoj Zizek, Gianni Vatimo, Jodi Dean ou Bruno Bosteels, mas também na própria prática política: a dos partidos e organizações que há muito se reclamam desse nome, mas também a de movimentos e agentes colectivos associados aos mais recentes ciclos de luta contra o capitalismo.

Trata-se, no caso destes movimentos e lutas, menos de pensar o comunismo como programa a realizar, mas antes de o conceber como processo de construção de novas formas do viver colectivo, necessariamente precárias, no aqui e no agora. Estas novas agências e movimentos assentam, na sua maioria, numa exigência de reapropriação colectiva do comum, numa palavra, de comunização, recusando, ao mesmo tempo, a lógica representacional e hierárquica que subjazeu à acção de partidos e organizações de classe ao longo do século XX.

Propomo-nos, nas três sessões deste workshop, discutir o comunismo como nome que designa a essência da política e, ao mesmo tempo, como designação com potencial para fazer sentido dos mais recentes ciclos de luta contra o capitalismo e pela igualdade.

Propomos, nesse sentido, alguns textos para discussão nas sessões: Alain Badiou, The Idea of Communism, em Slavoj Zizek e Costas Douzinas (ed.) «The Idea of Communism»; Michael Hardt, O Commun do Comunismo, disponível no nº 1 da revista Imprópria (ed. Unipop); Giorgio Agamben, Le commun: comment en faire usage, disponível em http://multitudes.samizdat.net/Le-commun-comment-en-faire-usage.html; Benjamin Noyes (ed.), Communization and Its Discontents, disponível em https://docs.google.com/viewer?url=http://www.minorcompositions.info/wp-content/uploads/2011/11/CommunizationDiscontents-web.pdf&pli=1.

Bruno Peixe Dias é investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e da Númena – Centro de Investigação em Ciências Sociais e Humanas. Elaborou uma tese de mestrado sobre Alain Badiou e coordenou, com José Neves, a edição do livro A Política dos Muitos. Povo, Classes e Multidão (2010), publicado pelas Edições Tinta-da-China.

José Neves é professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e é investigador do Instituto de História Contemporânea da mesma faculdade. Tem trabalhado sobre comunismo, nacionalismo, historiografia e desporto.

Apoio: A Tarumba Teatro de Marionetas

…………………………………………………………………………………..

Grupo de estudos: “Subjetividade, Foucault e Cinema” com Fábio Zanoni, 16 de Maio às 17h  no Seu Vicente.

Após o Clube da luta de David Fincher, trata-se de analisar um segundo filme que, aos nossos olhos, prolonga e intensifica o debate a respeito dos modos de subjetivação ofertados na contemporaneidade. Os Idiotas de Lars Von Trier coloca-nos igualmente o problema do jogo entre a máscara e o rosto, mas não sem levar a cabo uma profunda inflexão nos modos habituais de inteligibilização do problema da constituição das identidades. E é sobre tal deslocamento de perspectiva que iremos nos debruçar no próximo encontro.

investimento: 2 euros

apoio: Tapada da Tojeira/Azeite da Tojeira

……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Aulas:

Corpo em Trânsitos com Ibon Salvador, segundas feiras às 17:30h no c.e.m (centro em movimento)

A proposta desta aula é a de investigar um corpo relacional em movimento. Um corpo que se permeia com o entorno, gerando atmosferas e sendo gerado por elas, um ir e vir continuo com o espaço em volta, uma dança na escuta e no tato. As práticas aprofundarão o sistema sensoreo-motor e o potencial do corpo em movimento como caminho de criação e conhecimento.

Corpo e Contextos com Luciana Chieregati, quintas feiras às 18:00h no c.e.m (centro em movimento)

Desde uma aproximação aprofundada nos estudos do corpo em movimento, trabalharemos diferentes focos de relação desse corpo consigo e com seu entorno. Com a perspectiva de “zoom in” e “zoom out” experimentaremos praticas de aproximação de alguns dos sistemas, anatomias e funcionamentos desse corpo, considerando as constantes reconfigurações que exigem as transformações de contextos.

mais infos: aqui

investimento: 30 euros o mês; 10 euros aula avulsa;

Anúncios

Sobre seuvicenteresidencias

O coletivo qualquer é formado por Luciana Chieregati(BR) e Ibon Salvador(País Basco). Tem como foco de investigação a dança e como a prática e a teoria caminham na mesma direção, entendendo as diferenciações como possibilidades de novos entendimentos a partir da criação de redes e hibridações. Seu Vicente Residências Artísticas é sua casa, onde são os residentes permanentes e porteiros. Fazem parte da equipa do c-e-m(centro em movimento) que com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa, tem como horizonte fazer desse espaço, um lugar de convivências, encontros e compartilhamento de idéias acerca da contemporaneidade, recebendo ali artistas, filósofos, jardineiros, empregados de mesa e quem tiver vontade de pensar relações e estares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s